expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

domingo, 5 de julho de 2015

Epidendrum revolutum

Epidendrum revolutum

Origem: Brasil, nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Ambiente: Quente durante o dia, com queda significativa de temperatura à noite. Lugares úmidos bem ventilados.


                      Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Luminosidade: Gosta de locais sombreados, podendo ser cultivados sob varandas ou telado com proteção de 80%.

Características: É uma orquídea epífita, com caule que pode chegar a um metro de altura, com folhas opostas, coriáceas, lanceoladas, verde-brilhantes.

Tipo de substrato: Pode ser cultivada em palitos de fibra de casca de coco, toquinhos de madeira, ou em cachepôs de madeira com fibra de casca de coco e casca de pinho ou peroba.

Regas: Diariamente em dias quentes e de dois em dois dias nos dias frios. Se for plantada em toquinhos de madeira, pode ser regada duas vezes ao dia.

Doenças e pragas: É uma espécie bastante resistente a doenças. Sua principal praga são os pulgões, principalmente em sua fase de brotação. O controle pode ser manual ou usando-se detergente líquido diluído em água.


                      Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Adubação: Use NPK 20-20-20, ou qualquer outro adubo com macronutrientes equilibrados, quinzenalmente. A adubação orgânica pode ser feita, mas é preciso maior experiência pois pode conter alguns fungos que podem causar doenças, exigindo uma observação mais detalhada.

Floração: Acontece no fim do verão e início do outono. Apresenta uma haste floral no ápice do caule, com até 22 centímetros, portando até 30 flores de 2 centímetros de diâmetro com pétalas e sépalas lilás-amarronzado e labelo lilás.

Status ecológico: Sem risco de extinção.

Abraço orquidófilo!

Um comentário:

lucelia vidal disse...

Boa noite, vc saberia me dizer quanto tempo demora para a espata floral amadurecer e saírem os botões?