expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Chilochista conifera

Chilochista conifera

Origem: América-Central.

Ambiente: Quente, úmido e bastante arejado.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Luminosidade: Meia-sombra. O ideal é que seja cultivada sob telado com proteção de 70%.

Características: É uma orquídea epífita com pseudobulbos minúsculos, folhas pequenas, lanceoladas, enraizamento abundante.

Tipo de substrato: Utilize palitos de fibra de casca de coco ou toquinhos de madeira com um pouco de esfagno para manter a umidade.

Regas: Em dias frios, uma vez por dia; em dias quentes, duas vezes por dia.

Doenças e pragas: É bastante resistente a doenças. As pragas mais comuns são lesmas e caracóis. estes se alimentam principalmente das raízes. Combata manualmente. Faça uma checagem no local à noite ou em dias mais úmidos, pois esses animais se escondem e durante o dia e em dias mais secos.



    Foto: Maria do Carmo Silva


Adubação: Quinzenal, usando NPK 20-20-20 ou outro adubo com macronutrientes equilibrados e boa dosagem de micronutrientes. Molhe abundantemente as raízes.

Floração: Ocorre na primavera. Emite uma pequena haste floral, portando até 6 flores de 2 centímetros de diâmetro, com pétalas, sépalas e labelo amarelos, maculados de marrom nas pontas.

Status ecológico: Em extinção na natureza.

Abraço orquidófilo!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Cleisocentrum meirrilianum

Cleisocentrum meirrilianum

Origem: Bornéo.

Ambiente: Quente, úmido e bem ventilado.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Luminosidade: Aprecia meia-sombra. Pode ser cultivada sob árvores ou com telado com proteção entre 50% e 70 %.

Características: É uma orquídea epífita, de crescimento monopodial, forma touceiras, caules longos, ramificados, cilíndricos e trepadores, verde-brilhante.

Tipo de substrato: Pode ser plantada na base de tronco de árvores ou em vasos grandes com uma mistura de fibra de casca de coco e casca de pinho ou peroba. Nesse caso, utilize tutores para amparar a orquídea.

Regas: Diárias.

Doenças e pragas: É uma orquídea pouco suscetível a doenças. As pragas mais comuns ocorrem durante a fase de brotação e são as cochonilhas e pulgões. As primeiras podem ser combatidas utilizando-se óleo de nim ou inseticida piretroide. Os pulgões podem ser eliminados usando-se uma mistura de detergente líquido e água.




                      Foto: Maria do Carmo Silva


Adubação: Semanal. Use NPK 10-10-10 ou outro adubo com macronutrientes equilibrados e boa dosagem de micronutrientes como ferro e zinco.

Floração: Ocorre no outono/inverno. Emite uma haste floral nas axilas dos galhinhos, portando até 12 flores de 3 centímetros de diâmetro com pétalas, sépalas e labelo azuis.

Status ecológico: Em risco de extinção na natureza.

Abraço orquidófilo!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Oncidium equitante

Oncidium equitante

Origem: Brasil, principalmente das serras do Espírito Santo.

Ambiente: Quente e com bastante umidade, principalmente à noite. Gosta de locais com boa ventilação.

 Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Luminosidade: Gosta de meia-sombra, bastante luz indireta. Pode ser cultivada sob árvores não muito frondosas ou usando-se telado com proteção de 50%.

Características: É uma orquídea epífita, com pseudobulbos minúsculos e folhas coreáceas, verde-amareladas, lanceoladas, formando pequenas touceiras.

Tipo de substrato: Use cachepôs de madeira ou vasos plásticos com uma mistura de esfagno ou fibra de casca de coco com casca de peroba ou pinho.

Regas: Diárias. O ambiente deve permanecer úmido, principalmente à noite.

Doenças e pragas: Por ser uma orquídea que aprecia umidade, é comumente atacada por fungos como a "podridão-negra" ou a"ferrugem". Corte fora a parte afetada, isole a planta e trate com fungicida específico recomendado por um agrônomo.
As pragas mais comuns são as cochonilhas. Combata com óleo de nim ou inseticida piretroide.





    Foto: Maria do Carmo Silva


Adubação: Use NPK 20-20-20 ou outro adubo com macronutrientes equilibrados e boa dosagem de micronutrientes, como ferro, por exemplo, quinzenalmente.

Floração: Ocorre no outono/inverno. Emite uma haste floral na base das folhas, com cerca de 20 centímetros, portando até 8 flores de 3 centímetros de diâmetro, com sépalas e pétalas marrons na base e brancas nas pontas. O labelo é grande, comparado às pétalas e sépalas, branco-rosado, pintalgado de vermelho e manchado de amarelo.

Status ecológico: Sem risco de extinção.

Abraço orquidófilo!