expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Translate

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Rodriguezia bahiensis

Rodriguezia bahiensis

Origem: Brasil, sul da Bahia.

Ambiente: Quente e com bastante umidade natural.

Luminosidade: Prefere ambientes mais sombreados. O ideal é usar telado com proteção de 70%.

Características: É uma orquídea epífita, com pseudobulbos de 3 centímetros, sulcados, folhas estreitas e coreáceas de cerca de 20 centímetros de comprimento.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Tipo de substrato: Palitos de fibra de coco ou vasos ( plásticos ou cerâmicos) com fibra de coco.

Regas: Diárias em dias quentes e de dois em dois dias nos dias frios.

Doenças e pragas: Por gostar de ambiente sombreado e úmido é facilmente atacada por fungos como o Fuzarium. Nesse caso isole a planta e use fungicida específico, indicado por um agrônomo. Como preventivo, pode-se usar sulfato de cobre misturado à adubação.
É atacada por insetos sugadores como a cochonilha. Use inseticidas comuns ou aplique detergente líquido diluído em água.

Adubação: Use NPK 20-20-20 ou qualquer outro equilibrado em macronutrientes, quinzenalmente.

Floração: Floresce no final da primavera. Emite uma haste floral de cerca de 15 centímetros com até 10 flores de 5 centímetros de diâmetro, com pétalas e sépalas brancas, labelo trilobado branco com o centro amarelo.

Status ecológico: Quase extinta na natureza.

Abraço!

Um comentário:

Pedro Alan Ferreira disse...

Senhores, ao fim da reportagem vocês afirmam que está quase extinta na natureza, o que discordo. Recentemente encontramos vários exemplares em um local próximo à cidade de Itabuna-Bahia.

Ao contrário do que dizem percebemos que os exemplares estão em pleno desenvolvimento e reproduzindo.

O que fizemos? Começamos a espalhar algumas mudas num raio maior para que pudessem fertilizar-se e ampliar ainda mais na natureza.